“A Solução das Zonas Azuis. Os Lugares do mundo onde se vive até aos 100 anos” é um livro escrito por Dan Buettner que explora as regiões do mundo onde as pessoas têm uma expectativa de vida notavelmente longa e saudável. É um livro de fácil leitura, que apaixonou-me do início ao fim e quero partilhar com vocês os principais ensinamentos e conclusões do livro:

– Blue Zones: Dan Buettner identifica cinco “Blue Zones” no mundo, que são regiões onde as pessoas vivem mais tempo e com mais saúde. Essas regiões são: Okinawa (Japão), Sardenha (Itália), Nicoya (Costa Rica), Icária (Grécia) e Loma Linda (Califórnia, EUA).

– Alimentação: Em todas as Blue Zones, as dietas são baseadas principalmente em alimentos naturais e plant based, como vegetais, frutas, grãos integrais, nozes e leguminosas. A moderação no consumo de carne e produtos de origem animal é comum nessas regiões.

– Movimento Natural: As pessoas nas Blue Zones não praticam exercícios intensivos, não vão ao ginásio, mas estão constantemente em movimento. Elas caminham, sobem escadas, realizam grande parte das tarefas domésticas sem apoios tecnológicos, trabalham na agricultura e realizam atividades físicas leves ao longo do dia.

– Propósito de Vida: Ter um senso de propósito e pertencimento é fundamental nas Blue Zones. As pessoas têm laços sociais fortes, participam ativamente na comunidade e envolvem-se em atividades que lhes dão um motivo para acordar de manhã (como por exemplo voluntariado e ajudar com os netos).

– Gerir níveis de Stresse: Estratégias para reduzir o stresse, como meditação, são comuns nas Blue Zones. O estilo de vida mais tranquilo e o apoio social também ajudam a minimizar os efeitos negativos do stresse.

– Vida em Família: A importância da família é destacada nas Blue Zones. Gerações vivem juntas ou próximas umas das outras, proporcionando apoio mútuo e conexão emocional.

– Consumo de Álcool em moderação: Embora algumas Blue Zones permitam o consumo de álcool, ele é geralmente moderado e parte das atividades sociais, como tomar um bom vinho caseiro com os amigos.

– Vida Ativa Pós Reforma: As pessoas nas Blue Zones mantêm-se ativas mesmo em idades avançadas. Elas continuam a envolver-se em atividades produtivas como jardinagem, continuam a praticar alguma atividade física de eleições e mantêm viva a parte social.

– Comunidade Forte: A construção de laços sociais fortes e de apoio é uma característica comum em todas as Blue Zones. A conexão com amigos e familiares é uma parte essencial da vida diária.

– Longevidade: Nas Blue Zones, as pessoas não vivem apenas mais, como também desfrutam de uma qualidade de vida melhor na velhice, com taxas mais baixas de doenças crônicas.

Quero ainda ressaltar uma lição que achei fascinante, sobretudo por ser nutricionista, já ter atuado em nutrição comunitária e por ter um carinho muito especial por esta área.

No livro “Blue Zones”, Dan Buettner enfatiza a importância do ambiente propício e do papel das autarquias e municípios na promoção de estilos de vida mais saudáveis e longevidade. Aqui estão alguns pontos-chave sobre como as comunidades podem ajudar as pessoas a viver mais e com mais qualidade de vida:

– Políticas Comunitárias Saudáveis: Buettner destaca a necessidade das autarquias e municípios adotarem políticas que incentivem hábitos saudáveis. Isso pode incluir a criação de espaços públicos para atividades físicas, como parques e ciclovias, e a implementação de regulamentações para promover dietas mais saudáveis.

– Acesso a Alimentos Saudáveis: Comunidades podem incentivar o acesso a alimentos frescos e saudáveis, tornando mais fácil para os residentes comprar frutas, vegetais e outros alimentos nutritivos. Isso pode ser feito por meio de mercados de agricultores locais, programas de apoio à agricultura orgânica e regulamentações que limitam a presença de alimentos não saudáveis em áreas comunitárias.

– Promoção do Transporte Ativo: Incentivar o uso de meios de transporte ativos, como caminhar ou andar de bicicleta, pode ser alcançado por meio da criação de infraestrutura adequada, como calçadas seguras e ciclovias. Isso promove não apenas a atividade física, mas também reduz a dependência de veículos motorizados, contribuindo para a redução da poluição do ar.

– Políticas de Zona Azul: Algumas comunidades estão adotando o conceito de “Zonas Azuis”, inspirado nas regiões mencionadas no livro. Isso envolve a implementação de políticas e práticas que incentivam estilos de vida saudáveis, como a criação de clubes sociais, grupos de caminhada e programas de apoio à terceira idade.

– Conexões Sociais: As autarquias e municípios podem promover a criação de espaços públicos e atividades que incentivem a formação de laços sociais, como clubes, centros comunitários e eventos culturais. Isso fortalece a coesão social e o apoio emocional, que são fundamentais para a longevidade.

– Educação e Conscientização: As comunidades podem desempenhar um papel importante na educação e conscientização sobre a importância de hábitos saudáveis, boa nutrição e atividade física. Isso pode ser feito por meio de campanhas de saúde pública, workshops e programas de educação nas escolas.

– Apoio a Grupos Vulneráveis: Comunidades podem concentrar-se em oferecer apoio adicional a grupos vulneráveis, como idosos, crianças e pessoas de baixo rendimento, para garantir que todos tenham acesso a oportunidades de vida saudável.

Em resumo, o livro “Blue Zones” de Dan Buettner destaca as práticas de estilo de vida, dieta e comunidade das regiões do mundo onde as pessoas vivem mais tempo e com mais saúde e destaca também que a longevidade e a saúde não são apenas uma questão de escolhas individuais, mas também dependem significativamente do ambiente em que as pessoas vivem. Portanto, as autarquias e municípios desempenham um papel crucial na criação de comunidades que promovem estilos de vida saudáveis e, por consequência, uma vida mais longa e de melhor qualidade para seus residentes. E a melhor parte? Esses princípios podem ser aplicados em qualquer lugar do mundo para promover uma vida mais longa e saudável.

Concluindo, acho que já se notou que gostei muito do livro e recomendo a sua leitura, no entanto se não gostares de ler ou não tiveres muito tempo para leituras a Netflix acabou de lançar uma mini serie fantástica de 4 episódios com base neste livro: Viver Até Aos 100: Os Segredos das Zonas Azuis.

Até ao próximo artigo,

Sónia Dias Nutri